Convite de Dom Joaquim para a Missa dos Santos Óleos

oleosDom Joaquim Justino Carreira
por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica
bispo de Guarulhos,
a todos que este convite virem,
A PAZ ESTEJA CONVOSCO!

Queridos presbíteros e diocesanos de Guarulhos,

​Aproxima-se a Missa Crismal, chamada popularmente de Missa dos Santos Óleos, “na qual o Bispo concelebra com o seu presbitério e dentro da qual consagra o santo crisma e benze os outros óleos; é como que a manifestação da comunhão dos presbíteros com o seu Bispo. Com o santo crisma consagrado pelo Bispo, são ungidos os recém-batizados e são marcados com o sinal da cruz os que vão ser confirmados, são ungidas as mãos dos presbíteros e a cabeça dos Bispos, bem como a igreja e os altares na sua dedicação. Com o óleo dos catecúmenos, estes preparam-se e dispõem-se para o Batismo. Por fim, com o óleo dos enfermos, estes recebem alívio na doença.” (Cerimonial dos bispos, n.274) É também o dia em que todos os presbíteros renovam as promessas emitidas no dia de sua sagrada ordenação.

​Impossibilitado de presidir tal celebração por recomendação médica, convidei D. Emílio Pignoli, Bispo Emérito de Campo Limpo, para celebrar a Missa Crismal de 2013. Estarei, no entanto, unido a todos vós pela prece, pelo oferecimento dos meus sofrimentos pessoais e pela obediência à vontade de Deus.

Assim, relembro aos presbíteros a importância desse evento e convoco toda a Diocese, para que participe ativa e frutuosamente do mesmo:

​MISSA CRISMAL
​27 DE MARÇO DE 2013, 20H
​GINÁSIO PASCHOAL THOMEO – BOM CLIMA

​Concedo a todos minha afetuosa bênção e suplico vossas preces,

+ D. Joaquim

Guarulhos, 19 de março de 2013, Solenidade de São José,
36º. Aniversário de minha ordenação sacerdotal

Saiba mais sobre a Missa dos Santos Óleos

Nessa celebração se abençoam os óleos da Unção dos Enfermos e dos Catecúmenos, assim como se consagra o óleo da Crisma para serem usados nos sacramentos. Mas por que óleo? “O óleo tem a finalidade de fazer brilhar o rosto (Sl 103,15) e é símbolo da alegria (Sl 44,8). Penetrante, sua unção significa a consagração de um ser a Deus, em vista da realeza, do sacerdócio ou de uma missão profética (Ex 29,7). Mesmo edifícios e objetos são consagrados com a unção do óleo (Gn 28,18). O ungido por excelência é o Messias, o Cristo, que é o Rei, o Sumo Sacerdote e o Profeta. Símbolo da alegria e da beleza, sinal de consagração, o óleo é também o unguento que alivia as dores e que fortalece os lutadores, tornando-os mais ágeis e menos vulneráveis, ou seja, o óleo é usado desde os primórdios da história da salvação para consagrar e marcar o que é de Deus. O saudoso Padre Léo dizia que a carta sem selo não chega ao destino, assim é com os Cristãos, sem o selo do Espírito Santo através dos óleos, ele não chega ao paraíso.

O óleo dos Catecúmenos é usado na cerimônia do batismo. O sacerdote usa para ungir primeiramente o peito dos candidatos (as) ao batismo antes da água, dizendo: “O Cristo Salvador te dê sua força. Que ela penetre em tua vida como este óleo em teu peito”.

No Antigo Testamento era comum ungir os sacerdotes, reis e profetas. Também Cristo foi ungido pelo Espírito Santo de um modo muito especial. Então esta Unção quer significar que pelo Batismo nos tornamos participantes do poder messiânico de Jesus. E também, conforme a primeira epístola de São Pedro (1 Pedro 2, 9-10) nos tornamos raça eleita com Cristo, reis (rainhas), sacerdotes (sacerdotisas) e profetas (profetisas).

Este óleo concede a força do Espírito Santo àqueles que serão batizados, para que possam ser lutadores de Deus, ao lado de Cristo, contra o Espírito do mal. Este óleo poderá ser abençoado pelo padre antes de ser usado. Por motivos pastorais, a unção com o Óleo Catecumenal poderá ser omitida na celebração do Batismo ou realizada antes da celebração do mesmo.

O óleo dos Enfermos é usado na unção de pessoas que passam por alguma doença, terminal ou não. Este óleo, que em caso de necessidade poderá ser abençoado pelo padre antes da unção do enfermo, traz o conforto e a força do Espírito Santo para o doente no momento de seu sofrimento. O doente é ungido na fronte e na palma das mãos.

O óleo do Crisma é o único consagrado e perfumado. “É um óleo utilizado nas unções consagratórias dos seguintes sacramentos: na Confirmação é o símbolo principal da consagração, também na fronte; depois da Ordenação Episcopal, sobre a cabeça do novo bispo; depois da ordenação sacerdotal, na palma das mãos do neo-sacerdote. Também é usado em outros ritos consagratórios, como na dedicação de uma Igreja, na consagração de um altar, quando o Santo Crisma é espalhado sobre o altar e sobre as cruzes de consagração que são colocadas nas paredes laterais das igrejas dedicadas (consagradas). Em todos estes casos, o Santo Crisma recorda a vinda do Espírito Santo que penetra as pessoas como o óleo impregna a cada um deles que o toca. Ele faz com que pessoas sejam ungidas com a unção real, sacerdotal e profética de Jesus Cristo”. O Crisma, além de perfumado com bálsamo, é soprado pelo bispo, mostrando a presença do Espírito Santo.

Os Santos Óleos, de modo particular o Santo Crisma, têm caráter sacramental. Antigamente, os Óleos eram guardados dentro de um pequeno sacrário, costume este que está voltando em muitas comunidades, como sinal de respeito.

As Bênçãos dos óleos são com finalidade sacramental, quer dizer, para uso no sacramento, não devendo ser usados para outros fins; a sobra deve ser queimada. Não se benzem óleos pela rádio e nem mesmo nas missas para que as pessoas levem para as casas para ungir doentes, por exemplo.

A missa se encerra com a eucaristia e depois são distribuídos os óleos para as paróquias da diocese.

-

Fonte: Diocese de Guarulhos. Disponível em: <http://diocesedeguarulhos.org.br/site/index.php/miss-dos-santos-oleos/> Acesso em: 25.03.2013


DEIXE SEU COMENTÁRIO: